Um agente da ditadura não pode ser secretário

O novo secretário de Ordem Pública do Marcelo Crivella é Paulo Cezar Amêndola, que foi é citado no relatório do grupo Tortura Nunca Mais como agente da repressão na ditadura. Não podemos naturalizar um absurdo como esse. E por isso exigimos sua imediata exoneração!

5.724 pessoas já assinaram.
Ajude-nos a chegar em 6.000!
Clique para assinar

Paulo Cezar Amêndola foi indicado por Marcelo Crivella para ser o novo secretário de Ordem Pública do Rio de Janeiro.

Amêndola tem uma biografia que não permite que “cuide das pessoas”. É grave que sua história esteja marcada por ligações assumidas com os órgãos de repressão da ditadura militar.

Fez parte do DOI-CODI e se orgulha de ter prendido o hoje secretário de educação Cesar Benjamin.

Segundo a Folha de São Paulo, o coronel chegou a ser condenado na década de 1980 por sequestro e tortura, e um procurador do Tribunal de Justiça o envolveu no famoso caso do assassinato do jornalista Alexandre von Baumgarten.

O relatório do grupo Tortura Nunca Mais chega a citá-lo por duas vezes como integrante do aparelho repressivo da ditadura.

Não podemos naturalizar esse absurdo e por isso exigimos sua imediata exoneração!

——————————————————————————

Por que me recusei a reunir com Amendola: http://migre.me/w3a0E

Reportagem da TVT: http://migre.me/w39TJ

Entrevista na CBN: http://migre.me/w3ago

Matéria no jornal “O Dia” que mostra documento ligando Amendola ao CODI: http://migre.me/w39WA

Nota no jornal “Extra”: http://migre.me/w3a2Q