Policia do Rio começa a ocupar comunidades

Deputado David Miranda vai ao Jacarezinho fiscalizar a ocupação militar

19 jan 2022, 14:15 Tempo de leitura: 2 minutos, 3 segundos
Policia do Rio começa a ocupar comunidades

Transcrição do áudio:

>> trinta e oito pessoas foram presas em operações policiais nas regiões oeste, norte da cidade do Rio. >> Foi o início do projeto de ocupação de comunidades. Uma nova versão das Unidades de polícia Pacificadora. >> No Jacarezinho, zona norte do Rio. A ação mobilizou mil e duzentos policiais que tiveram apoio de blindados e helicópteros. Os agentes vasculharam becos e se posicionaram para confrontos que não acontecer nenhum disparo foi feito. Moradores contaram que já sabiam da ocupação policial criado na comunidade. O deputado federal David Miranda confirmou o vazamento de informações. >> Ontem. O WhatsApp, eu estava bombando falando com a família, com meus amigos e todo mundo preocupado, ninguém conseguiu dormir direito. Essa noite. >> Foram apreendidos cadernos de anotações do tráfico, material para o preparo de drogas e duas motos. De acordo com o Governo do estado, a ação foi o pontapé inicial de um projeto chamado cidade integrada. O objetivo é promover a ocupação social de várias favelas cariocas e assim enfraquecer o poder do crime organizado nessas localidades. Numa rede social, o governador Cláudio Castro disse que vai detalhar no fim de semana, o que classificou como um grande processo de transformação das comunidades do estado. Já entre os moradores de Jacarezinho, o clima é de incerteza. No ano passado, vinte e oito pessoas foram mortas no Jacarezinho, na operação mais letal da história da polícia. Além disso, a Unidade de polícia Pacificadora instalada aqui em dois mil e treze e durou apenas seis anos. O esquecimento é total, né, desde a educação da saúde pública e o estado, ele fechou os olhos e tempo todo na zona Oeste, a operação foi uma área dominada por milicianos. A Muzema nessa comunidade, o foco será o combate ao comércio ilegal de gás de cozinha, crimes ambientais e construções irregulares. Para este antropólogo e ex-oficial da PM que coordenou o projeto das UPPs. Falta Clarissa sobre o novo programa e mais por que na feira do Peixe eu gosto. >> Uma das mais materiais e tecnologias de me sentir o suor mesmo momento delicado e que a a. >> Nós questionamos o Governo do Rio de Janeiro sobre o vazamento de informações, mas não tivemos respostas.