PSOL trabalha na Câmara para que Brasil manifeste apoio a Julian Assange, fundador da WikiLeaks

Os deputados do PSOL David Miranda e Glauber Braga apresentaram nesta semana um requerimento na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara para que o Brasil se posicione em apoio a Julian Assange, fundador da WikiLeaks.

14 dez 2021, 14:36 Tempo de leitura: 0 minutos, 57 segundos
PSOL trabalha na Câmara para que Brasil manifeste apoio a Julian Assange, fundador da WikiLeaks

Os deputados do PSOL David Miranda e Glauber Braga apresentaram nesta semana um requerimento na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara para que o Brasil se posicione em apoio a Julian Assange, fundador da WikiLeaks.

A iniciativa busca pressionar contra o processo de extradição de Assange para os Estados Unidos, aprovado pelo Reino Unido na última sexta-feira (10). Ele é vítima de uma série de erros judiciais que ferem a liberdade de expressão e informação e sofre violações de direitos e violência psicológica.

Acusado de espionagem e vazamento de dados sigilosos por ser um “whistleblower”, o australiano de 50 anos está sob prisão preventiva no Reino Unido.

David Miranda e Glauber Braga defendem que a possível extradição de Assange é uma ameaça à vida do fundador do WikiLeaks e uma afronta àqueles que denunciam ou pretendem denunciar procedimentos secretos e possíveis ataques contra civis de todo o mundo.

Assange sofreu um derrame na manhã de sua última audiência do processo de extradição, em 27 de outubro, mas a informação só foi divulgada no sábado (11).