Deputados pedem que governo se posicione em apoio a Julian Assange

Parlamentares alegam que Assange está sofrendo violações de direitos e é vítima de erros judiciais que ferem a liberdade de expressão

14 dez 2021, 14:32 Tempo de leitura: 1 minuto, 16 segundos
Deputados pedem que governo se posicione em apoio a Julian Assange
Bruna Lima (Metrópoles)
Ele é fundador do WikiLeaks

Os deputados David Miranda e Glauber Braga, do PSol, apresentaram à Câmara um pedido para que o governo se posicione em apoio a Julian Assange, fundador da WikiLeaks.

Integrantes da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara, onde o requerimento de Moção de Solidariedade foi apresentado, os dois parlamentares alegam que Assange está sofrendo uma série de violações de direitos, violência psicológica e é vítima de erros judiciais que ferem a liberdade de expressão e informação.https://d-26969087702312896352.ampproject.net/2112032204000/frame.html

Acusado de espionagem e vazamento de dados sigilosos por ser um whistleblower, o australiano de 50 anos está sob prisão preventiva no Reino Unido e luta contra o processo de extradição para os Estados Unidos. Preso desde 2019, Assange é alvo de 18 acusações criminais nos EUA.

Na última sexta-feira (10/12), o Reino Unido aprovou o pedido de recurso dos Estados Unidos para extraditar Assange. Caso a determinação se confirme, ele pode receber pena de 175 anos em território americano.

Assange sofreu um derrame na manhã de sua última audiência do processo de extradição, em 27 de outubro, mas a informação só foi divulgada no sábado (11/12).

No pedido de Moção de Solidariedade, Miranda e Braga defendem que a possível extradição de Assange é uma ameaça à vida do fundador do WikiLeaks e uma afronta àqueles que denunciam ou pretendem denunciar procedimentos secretos e possíveis ataques contra civis de todo o mundo.