Bancada do PSOL cobra explicações de ministros de Bolsonaro sobre tentativa de intervenção no STF

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados enviou uma série de requerimentos de informação a ministros do governo de Jair Bolsonaro para cobrar explicações sobre a informação de que o presidente avaliou em reunião a possibilidade de intervenção e destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

12 ago 2020, 15:11 Tempo de leitura: 1 minuto, 24 segundos
Bancada do PSOL cobra explicações de ministros de Bolsonaro sobre tentativa de intervenção no STF

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados enviou uma série de requerimentos de informação a ministros do governo de Jair Bolsonaro para cobrar explicações sobre a informação de que o presidente avaliou em reunião a possibilidade de intervenção e destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os requerimentos foram enviados para os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Walter Braga Netto (Casa Civil). Segundo matéria da revista Piauí, em reunião no dia 22 de maio no Palácio do Planalto em que os ministros participaram, Bolsonaro chegou a afirmar que queria intervir e mandar tropas para o Supremo porque os magistrados, na sua opinião, estavam passando dos limites em suas decisões e “achincalhando sua autoridade”.

Os três requerimentos de informação foram protocolados nesta quinta-feira (6) na Câmara dos Deputados. Os deputados do PSOL solicitam informações sobre o encontro de 22 de maio, bem como cópias dos e-mails de convocação da reunião, atas, e-mails, registros fotográficos e em vídeo que justifiquem o encontro.

Os parlamentares também questionam se os ministros estiveram presentes ou têm conhecimento de reuniões realizadas entre maio e julho em que tenham sido debatidas “estratégias de intervenção (militar ou não) ou de destituição” de ministros do STF, assim como encontros em que tenham sido debatidos os inquéritos em curso no Supremo.

“Em todas as respostas, anexar notas técnicas, pareceres, memorandos, atas de reuniões, e-mails, despachos e qualquer outro documento relacionado ao tema que justifique as respostas”, diz o requerimento.