[CORREIO BRAZILIENSE] Freixo será o único candidato da esquerda à Presidência da Câmara

31 de janeiro de 2019 14h35

A esquerda anunciou, nessa quinta-feira (31/1), a união em um bloco de oposição em busca de lugares na Mesa Diretora

O deputado federal e candidato à Presidência da Casa, Marcelo Freixo (Psol-RJ) (foto: Reprodução/Twitter )

O deputado federal e candidato à Presidência da Casa, Marcelo Freixo (Psol-RJ), protocolou, nesta tarde de sexta-feira (1°/2), a candidatura dele na casa. Em seu primeiro mandato, é o único nomes da esquerda que concorre ao cargo mais alto no Parlamento. Ele estava acompanhado dos colegas do partido, entre eles, o substituto de Jean Wyllys, David Miranda (Psol-RJ). 

A esquerda anunciou, nessa quinta-feira (31/1), a união em um bloco de oposição em busca de lugares na Mesa Diretora. Quatro partidos integram a frente — PSB, PT, Psol e Rede. Questionado se a demora para formalizar a articulação enfraquece a oposição e  a disputa dele à Presidência da Câmara, Freixo disse que o objetivo nunca foi em torno do nome dele, mas da união entre as legendas. 

“Essa é a maior renovação que essa Casa já teve. Há muitos jovens e queremos fazer com que eles ocupem espaços importantes. Nosso esforço para a formação da frente não foi em torno de um nome, mas no bloco. Consolidamos a união da oposição com quatro partidos para atuar juntos a partir deste ano. O apoio do PT, do PSB e da Red vai ser muito importante e temos orgulho disso”, concluiu. 

Juntos, os quatro partidos somam 97 deputados. A eleição da nova Mesa Diretora da Casa ocorre também nesta sexta-feira (1º/2) e o comando das 25 comissões da Câmara são feitas conforme a proporção de bancadas. Segundo o regimento interno, os blocos apresentados no primeiro dia da volta das atividades legislativas são a base para a divisão dos cargos da Mesa pelos próximos dois anos e afetam diretamente na disposição das vagas nas comissões pelos próximos quatro anos. 

De Gabriela Vinhal para o Correio Braziliense