[o globo] FESTA LGBT TOMA CÂMARA DO RIO NO DIA INTERNACIONAL CONTRA A HOMOFOBIA

08 de junho de 2018 16h21

POR LUCIANO FERREIRA*

RIO – Os ternos cinza continuavam lá, assim como as saias pretas abaixo do joelho. Mas, ontem, figurinos extravagantes quebraram o ambiente sisudo do Palácio Pedro Ernesto, sede da Câmara Municipal: vestidos e maquiagem em tons fortes coloriram o plenário, que celebrou o Dia Internacional Contra a LGBTfobia. As cores do arco-íris, símbolo de movimentos que defendem a diversidade, estavam presentes, mas a maioria dos integrantes da bancada evangélica, não.

HINO NACIONAL

Pela primeira vez, a Casa viu uma trans cantar o Hino Nacional: com vestido rosa e e cabelos esvoaçantes, Jane Di Castro entoou os versos esbanjando emoção, e foi acompanhada por quem estava nas galerias do palácio. Após a apresentação, ela foi aplaudida de pé e recebeu a Medalha Chiquinha Gonzaga, concedida a personalidades femininas com relevância no cenário cultural, humanitário ou artístico.

Solenidade em comemoração ao Dia Internacional contra a LGBTfobia, com Jane di Castro – Agência O Globo

HINO NACIONAL

Pela primeira vez, a Casa viu uma trans cantar o Hino Nacional: com vestido rosa e e cabelos esvoaçantes, Jane Di Castro entoou os versos esbanjando emoção, e foi acompanhada por quem estava nas galerias do palácio. Após a apresentação, ela foi aplaudida de pé e recebeu a Medalha Chiquinha Gonzaga, concedida a personalidades femininas com relevância no cenário cultural, humanitário ou artístico.

HINO NACIONAL

Pela primeira vez, a Casa viu uma trans cantar o Hino Nacional: com vestido rosa e e cabelos esvoaçantes, Jane Di Castro entoou os versos esbanjando emoção, e foi acompanhada por quem estava nas galerias do palácio. Após a apresentação, ela foi aplaudida de pé e recebeu a Medalha Chiquinha Gonzaga, concedida a personalidades femininas com relevância no cenário cultural, humanitário ou artístico.

PARTE DA BANCADA EVANGÉLICA ACEITA EVENTO

Para o vereador David Miranda (PSOL), idealizador do evento na Câmara, a cerimônia pelo Dia Internacional Contra a LGBTfobia é uma vitória para a comunidade, por conseguir ocupar o plenário, um local tido como conservador. Mesmo com a resistência de membros da casa, principalmente de parlamentares da bancada evangélica, ele acredita que a presença de ativistas no local contribui para o debate em lugares e segmentos tradicionais da sociedade:

— Essa cidade, que tem tanta diversidade na sua história, nunca havia escolhido um vereador assumidamente LGBT. Então, eu represento uma parcela dessa população que está lá fora, e precisa de representação nesta casa. Tem um alvo nas costas de cada um de nós, somos perseguidos diariamente, mas a cidade também é nossa, e a gente quer aproveitar de todos esses espaços ainda tão fechados.

Vereador David Miranda, idealizador da solenidade, beija as drags Sara e Nina – Agência O Globo