Orgulho LGBT, projeto aprovado, arco-íris na praça, que dia!

28 de junho de 2017 22h34

Justamente no Dia Internacional do Orgulho LGBT, aprovamos nosso primeiro projeto na Câmara. Para completar, um arco-íris tomou conta da Cinelândia à noite! 

É um daqueles dias para voltar para casa feliz, abraçar o marido, os cachorros e dormir satisfeito com as lutas que lutamos, com todos aqueles que estão juntos nessa jornada por mais direito e respeito à população LGBT.

ORGULHO LGBT

Nosso dia começou com um depoimento inspirador vindo dos Estados Unidos. Compartilhamos um vídeo incrível da pequena Savannah, de 12 anos, que fez um pronunciamento histórico dentro de uma igreja mórmon de Utah. Poucas palavras expressaram tão bem o que significa o orgulho LGBT.

“Deus não se confundiu quando me deu olhos castanhos ou quando nasci careca. Ele não se confundiu quando me deu sardas ou quando me fez gay. Deus me ama bem desse jeito, porque eu acredito que ele ama todas as suas criações. Eu acredito que ele me fez assim com algum propósito. Nenhuma parte de mim é um engano. Eu sei que não sou uma horrível pecadora por ser quem eu sou.Eu espero algum dia aproveitar um encontro, ir a festas dançantes, apertar mãos e ir à universidade. Eu quero encontrar uma companheira e ter um bom trabalho. Eu quero me casar e ter uma família. Eu sei que esses sonhos e desejos são bons e corretos. Eu sei que eu posso ter todas essas coisas como uma lésbica e ser feliz. Não escolhi ser assim e isso não é moda. Eu acredito que Deus quer que nos tratemos com carinho mesmo que as pessoas sejam diferentes. Especialmente, se elas são diferentes. Ele quer que eu seja feliz. Eu quero ser feliz. Eu quero me amar e não sentir vergonha de quem eu sou”.  

Também aproveitamos o 28 de junho para produzir um vídeo muito legal que listava os avanços LGBT no mundo desde a famosa Revolta de Stonewall, em 28 de junho de 1969, em Nova York. Foi bom perceber o quanto nós avançamos nesses 48 anos. As paradas LGBTs se espalharam pelo planeta e são capazes de reunir mais de 3 milhões de pessoas, como vimos em São Paulo há duas semanas. Muito bom também perceber que nossos direitos civis também evoluíram. Em mais de 25 países podemos casar. Em mais de 30 países, adotar filhos. As lutas das pessoas trans também avançaram no mundo todo, como o reconhecimento do nome social em muitos países. Ainda é preciso caminhar muito mais. Neste dia internacional do orgulho, é bom comemorar, mas é fundamental lembrar daqueles irmãos e irmãs LGBTs que ainda tanto sofrem nesse mundo, seja aqui no Brasil, o país que mais mata transexuais no mundo; seja na Indonésia, onde gays são chicoteados em praças públicas em alguns distritos; seja na Síria ou no Iraque, em áreas dominadas pelo Estado Islâmico, onde gays são atirados de prédios.

primeiro projeto aprovado

À tarde, o dia de trabalho na Câmara foi um dos mais marcantes até agora. Conseguimos aprovar um requerimento que colocava na pauta de votações nosso primeiro projeto de lei até agora. Entrou em votação o PL 10/2017, que institui o sistema “Assistência LGBT Rio” de promoção da cidadania e enfrentamento à LGBTfobia. O projeto prevê a criação de ações, como campanhas educativas, seminários, palestras, cursos, cartilhas e publicidade em mídias, voltadas para a proteção dos direitos fundamentais dos LGBTs do Rio e para o enfrentamento à LGBTfobia.

Eu articulei bastante no plenário para garantir a aprovação desse projeto que dá um alento para a população LGBT tão desassistida em nossa cidade e em nosso estado, especialmente, depois do fim do Rio Sem Homofobia, programa do governo estadual que terminou esse ano diante da gravíssima crise financeira do Estado.

Quando o projeto foi à votação, fiquei bastante nervoso! Mas feliz demais com o resultado! Aprovamos o projeto por 20 votos a 13!

Interessante perceber que nosso projeto iniciou um debate que durou mais de uma hora. O vereador Alexandre Isquierdo (DEM) reclamou que o projeto criava “privilégios” para a população LGBT. Ora, sabemos que as populações oprimidas não recebem privilégios quando conquistam direitos! Muitos vereadores apoiaram nossos argumentos, como nosso colega de bancada Tarcísio Mota.

O projeto, para ir à sanção do prefeito, ainda precisa ser aprovado em uma segunda discussão. Temos confiança de que, sim, ele irá ser aprovado novamente.

Arco-íris na Cinelândia

Depois da aprovação, participei de uma manifestação/confraternização muito bonita nas escadarias da Câmara e no largo da Cinelândia. Diversos grupos e pessoas LGBT se reuniram para celebrar o 28 de junho. Uma imensa bandeira foi esticada na Cinelândia. Foi fantástico quando a bandeira passou por um duto de ar do metrô da Cinelândia! Um arco-íris lindo maravilhoso surgiu num dos pontos mais emblemáticos da cidade.

Nosso mandato ainda teve a iniciativa de colorir a Câmara de Vereadores com as cores do arco-íris! Deu para registrar cada foto legal! Foi o fechamento perfeito de um dia que nos fez lembrar como nossa luta é importante, como esse sentimento de comunidade é o que faz nós caminharmos juntos e fortes.