Falta empatia

17 de junho de 2017 20h25

Tenho olhado para todos os lados. Procuro algo que possa me guiar nesse momento em que passamos. Não existe saída fácil para essa tempestade Temerosa que está em nosso país.

Viramos um mar de pessoas gritando, esperneando uns para os outros! Que tristeza para a democracia, a nossa jovem, young little, democracia.

As ruas viraram palcos. Os jornais, novelas. Assistimos a cada capítulo desse drama, que tem por vezes várias viradas, porém mesmo com todos áudios, delações, nada acontece.

Esquerda, direita, coxinha, petralha, esquerdista, bolsominion!

No meu ver, nosso país só vai mudar quando esses conceitos acabarem, cairem em por terra, enviarem para lixeira.

As pessoas perderam a empatia, ou nunca tiveram. Ao meu ver, empatia é algo que se aprende de duas formas: ou alguém te ensina que a porra desse mundo é compartilhado por todos e que ninguém, ninguém aqui é igual a ninguém, ou você aprende que você não é igual a ninguém, que você é o tal diferente, que aprende na marra as diferenças e se aceita e aceita os outros! Nem preciso falar como surge o pré-conceito e a intolerância né?!

E por que isso tudo tem a ver com a porra da política David?!

Uma sociedade quebrada. Uma sociedade sem amor ao próximo, cruel demais.

As escolas tinham que nos ensinar a tratar as pessoas, a respeitar a história de cada um. A escola deveria ensinar aos alunos que serão o futuro do nosso mundo a ser melhores pessoas e não máquinas que precisam aprender constantemente algo aplicável no mercado de trabalho.

Ford e sua teoria da linha de produção nos transformou em máquinas do capitalismo. As camadas que nos cobrem dentro da sociedade são tantas que a importância do ser social não existe.

Morremos aos poucos, matamos aos montões, e lavamos nossa culpa no julgamento do outro ser diferente de nós.