Questionado, secretário de saúde chama David Miranda e equipe para reunião sobre atendimento a LGBTs

23 de fevereiro de 2017 16h03

Ao expor dificuldades financeiras em reunião na Câmara, secretário de saúde apavorou vereadores 

“Isso aqui deveria ser um choque para os vereadores que participaram do governo anterior”. Foi com essa dura colocação que o vereador e médico Paulo Pinheiro (PSOL) alertou seus colegas de que os números apresentados pela atual gestão da Prefeitura são muito mais graves do que aqueles expostos, no fim do ano passado, pela gestão de Eduardo Paes. Os números são tão discrepantes que os vereadores vão chamar o antigo secretariado para dar explicações à Câmara Municipal.
Uma prova de que a situação financeira é preocupante, também na saúde, foi a presença da secretária de Fazenda, Maria Eduarda Gouvêa Berto, na reunião. Ela trouxe tabelas que mostraram a recente queda na arrecadação da Prefeitura.

Segundo o secretário Carlos Eduardo, serão necessários R$500 milhões de reais acima do orçamento aprovado para que a secretaria não perca em sua capacidade de atendimento ainda este ano. Ele confirmou ainda que existem, apenas na cidade do Rio, 150 mil pessoas na fila do SISREG, o sistema que regula os procedimentos na saúde, como operações. Isso apenas fora dos hospitais. Dentro deles, são 7.600 pessoas à espera.

Seis vereadores puderam fazer perguntas ao secretário. Vereador e médico Paulo Pinheiro foi o primeiro a perguntar. Enfático, pediu respostas, por exemplo, em relação ao projeto de municipalizar as UPA’s, promessa de campanha de Crivella. O secretário disse que essa proposta está “100% afastada”.

O secretário respondeu diretamente todos os cinco primeiros vereadores que tomara a palavra. David Miranda (PSOL) foi o último a perguntar.

“O SUS hoje não está equipado para atender a população LGBT da cidade do Rio de Janeiro, principalmente a população T – travestis, mulheres transsexuais e homens trans. E queria saber quais as políticas de vocês”.

O secretário preferiu não responder, demonstrando que ou não tem políticas preparadas nessa área, ou não está seguro para expô-las. Preferiu chamar o vereador David e sua equipe para uma reunião.

O Mandato Coletivo David Miranda aceitou o convite prontamente. Levaremos nosso acúmulo na área para a mesa do secretário, mas, além disso, queremos convocar todos os interessados, especialmente a população T, para levantar e propor demandas. Este nosso encontro será marcado muito em breve! Todos, todas e todes estão convidades!